• Ministério do Trabalho se une à Previdência com verba de R$ 32 mi na área institucional

    A nova legislação, que equiparou as concorrências públicas para agências digitais e para comunicação corporativa às de publicidade — proibindo pregões de preço — fez mesmo bem para o mercado.

    Publicidade
    Publicidade
    Publicidade

    Não só o Ministério das Comunicações está na rua com um processo de seleção para aquelas áreas. Dois ministérios do Governo Lula — o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) e o Ministério da Previdência Social (MPS) –, que até dividem o mesmo prédio na capital federal, uniram suas verbas para realizar uma concorrência para a seleção de uma única agência de comunicação corporativa, prevendo um investimento anual da órdem de R$ 32 milhões. Para ser preciso, R$ 16.202.595,84 de cada um.

    O edital pode ser encontrado na internet e dá um susto em quem o localiza, porque os burocratas de Brasília, provavelmente acostumados à antiga legislação, chamaram a disputa ainda de Pregão Eletrônico nº 90001/2024. Mas o edital deixa claro que o processo seguirá o de melhor proposta Técnica.

    Para esta concorrência, a data de entrega acontecerá em 30/07, em Brasília.

    Publicidade

    Marcio Ehrlich

    Jornalista, publicitário e ator eventual. Escreve sobre publicidade desde 15 de julho de 1977, com passagens por jornais, revistas, rádios e tvs como Tribuna da Imprensa, O Globo, Última Hora, Jornal do Commercio, Monitor Mercantil, Rádio JB, Rádio Tupi FM, TV S e TV E.

    Envie um Comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


    seta
    ×