• Morre Ney Azambuja, redator e parceiro de Tavito em Rua Ramalhete

    Faleceu no sábado, 08/06, no Rio, o criativo e letrista Ney Azambuja.

    Publicidade
    Publicidade
    Publicidade

    Muito premiado na publicidade carioca, o taurino de 09/05 Ney Antonio D’Azambuja Ramos ainda deixou sua marca na música popular brasileira como parceiro do jinglista Tavito em Rua Ramalhete, aquela que traz os versos:

    “Muito prazer, vamos dançar
    que eu vou falar no seu ouvido
    coisas que vão fazer
    você tremer dentro do vestido.
    Vamos deixar tudo rolar;
    e o som dos Beatles na vitrola.
    Será que algum dia eles vêm aí
    cantar as canções que a gente quer ouvir?”.

    A canção fez tanto sucesso que, em 2004, chegou a competir para ser símbolo de Belo Horizonte, numa pesquisa do site Uai.

    Essa presença na música o levou a lançar, em parceria com Paulo Sérgio Valle, em 1981, o livro de poesias ‘De Corpo e Alma”.

    Em agências do Rio, ele foi L&M, MPM, SGB, Caio, Denison, Contemporânea, Young & Rubicam (onde foi diretor de criação) e Oficina (onde foi sócio).

    Em 1978, duplando com o diretor de arte Ernani “Naninho” Gouvea, o criativo venceu o primeiro Concurso Nacional de Outdoor, aliado à campanha antitóxico, com a peça “Cláudia Lessin Rodrigues – que todos os pais dessa cidade jamais se esqueçam deste nome”.

    Mas ele era fascinado por campanhas políticas. Não foram poucas as vezes em que se afastou de agências para ajudar a eleger candidatos em diferentes estados brasileiros.

    Ainda não há informações sobre as causas da morte de Neyzinho, como muitos o chamavam. Quando tivermos, atualizaremos aqui.

    Publicidade

    Marcio Ehrlich

    Jornalista, publicitário e ator eventual. Escreve sobre publicidade desde 15 de julho de 1977, com passagens por jornais, revistas, rádios e tvs como Tribuna da Imprensa, O Globo, Última Hora, Jornal do Commercio, Monitor Mercantil, Rádio JB, Rádio Tupi FM, TV S e TV E.

    Envie um Comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


    Discussão

    1. Luís Vargas

      Trabalhei com o Ney na L&M de 1974 a 1976. Ótimo profissional e pessoa, com seu inseparável cachimbo. Junto com Mauro Mattos, fez uma grande dupla na Criação. Que descanse em paz.

    2. Eduardo Ferreira D Azambuja Ramos

      Marcio, como sobrinho do Ney, a família agradece a materia e o carinho. Tio Ney continuará forte dentro de todos que o conheceram.
      Em nome da família. Muito obrigado.

    3. Oi Marcio, linda a reportagem sobre o Ney.
      Vale informar q além de ter sido letrista da “Rua Ramalhete “, ele também escreveu “Começo, Meio e Fim”, ambas as músicas em parceria com o Tavito, cujo sucesso estourou com o Roupa Nova.
      Ele já está fazendo muita falta!

    4. […] Leia a matéria completa clicando aqui. […]

    seta
    ×