• Campanha da Hillel chega ao OOH no Brasil para denunciar os sequestros pelo Hamas

    A organização internacional de campus judaicos Hillel International está por trás das peças que estão sendo veiculadas em OOH no Rio e em São Paulo para conscientizar a população sobre os sequestros de civis durante o ataque do Hamas a Israel, em 7 de outubro último.

    Publicidade
    Publicidade

    A iniciativa de adaptar a campanha — que também está circulando em outros países — foi do braço brasileiro da organização israelense de educação Stand With Us (SWU), em parceria com a Federação Israelita de São Paulo.

    E que contou, no Rio, com o apoio da WAM, veiculando as imagens no mega painel de led que a exibidora tem na Avenida Princesa Isabel, logo na chegada a Copacabana pelo Túnel Novo.

    A peça começa com a foto e os dados de uma das vítimas dos sequestros pelo Hamas. Daí, ela vai se multiplicando, trazendo outras imagens, até formar um grande mosaico. Segundo as informações divulgadas desde o início do conflito em Israel, o Hamas teria levado para seus acampamentos 222 israelenses.

    Em São Paulo, as imagens das vítimas estão sendo exibidas em diversos telões em pontos de ônibus e relógios de rua da capital.

    Publicidade

    Marcio Ehrlich

    Jornalista, publicitário e ator eventual. Escreve sobre publicidade desde 15 de julho de 1977, com passagens por jornais, revistas, rádios e tvs como Tribuna da Imprensa, O Globo, Última Hora, Jornal do Commercio, Monitor Mercantil, Rádio JB, Rádio Tupi FM, TV S e TV E.

    Envie um Comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


    Discussão

    1. Daniel

      “Segundo as informações divulgadas desde o início do conflito em Israel, o Hamas teria levado para seus acampamentos 222 israelenses.”
      Essa frase leva a crer que há dúvida… ou é impressão minha?

      1. Marcio Ehrlich

        Sim, o número de sequestrados nunca foi considerado exato pela imprensa, até por conta de haver israelenses desaparecidos nos escombros dos ataques terroristas.

    seta